terça-feira, 9 de julho de 2013

a folha em branco


A folha em branco não mete medo. Às vezes, é apenas uma ideia que vem demasiado cedo. Pode até ser um susto criativo que, quando muito forte, faz dizer mal da sorte porque parece castigo. Mas e todas as coisas que a folha em branco convida a inventar? Isso não pode ser azar. É uma fortuna de mãos cheias de maravilhas. Um mapa do tesouro que conduz a riquezas enterradas numa imensidão de ilhas. É escrever, letra a letra, e cada palavra, com a sua cor preta, faz o branco desaparecer. É criar, inventar e sonhar. Repetir, sorrir e respirar. A folha em branco é uma criança que nos sobe para o colo e nos pede para a embalar.

4 comentários:

Carla Pisco disse...

Muito bonito Manuel...^_^

Manuel Alves disse...

Carla, a página em branco é um convite e um desafio. É um raio de sol, um sopro de ar, as árvores a cantar e o gosto de sentar na margem entardecida do rio. :)

Maria Rocha Peixoto disse...

Gosto tanto, mas taaaaaaanto!!!!!!!!!!!

Manuel Alves disse...

Você gostou assim taaaaaaanto, senhora dona Maria Hermenegilda, porque também sabe o que é embalar no colo a folha em branco. ;)